Guano Apes @ Enterro da Gata, Braga – Eu fui!

Depois das datas que tinha referido num post anterior (incluindo a do Festival Marés Vivas, 17 de Julho) surgiu uma nova data em Portugal: 10 de Maio, Enterro da Gata, Braga. O 1º concerto da “tour” era em Portugal!

Depois de algumas indecisões, lá saí de Lisboa no próprio dia às 17h00, em contra-relógio para o concerto. 17h00, Sete-Rios; 20h35, Porto; 21h00, autocarro para Braga; 22h15, Braga; 22h30, pousada da juventude; 23h05, universidade do Minho, autocarro para o local do Enterro (à borla! boa organização); 23h20, local do Enterro, ao lado do estádio AXA.

Ainda tocava a tuna lá do sítio e algum tempo depois subiram ao palco os Peixe:Avião. São “da casa” e até têm uma sonoridade porreira. Mas o melhor estava para vir! E, finalmente, já perto da 1h00 a luz do palco voltou a apagar-se e ouviu-se a Sandra: “Here we go again”. You can’t stop me deu a abertura, seguindo-se Money & Milk:

Não restaram dúvidas: estavam com a mesma energia de sempre! De seguida tocaram Quietly:

O resto da set list foi um pouco diferente do habitual: menos clássicos, mais músicas menos tocadas (presentes em singles e no best of). Gostei de ouvir ao vivo temas como Candy Love, Allies e Electric Nights, mas claro que outros temas como Mine All Mine, Dodel up e Gogan fizeram falta. Mas não dá para tudo… A set list completa foi esta (fiquei com uma do palco):

Tocaram duas músicas do álbum a solo da Sandra (Do it again e Sorry) e uma música nova que ainda não tem nome (aparece como Hives Song). A Sugar Skin não chegaram a tocar porque o encore foi um bocado maior devido a uns problemas nas grades da frente, mas o Henning e o Stude vieram tocar um pouco da Living in a Lie para a malta cantar. Foi porreiro.

Da parte da Sandra notava-se um grande entusiasmo em voltar a estar ao vivo. Dos restantes, talvez um pouco menos.. há quem diga que também faltou mais interacção com o público (como é hábito deles), mas não acho que tenha feito assim muita diferença. Foi um bom concerto, com muita energia, a marcar um bom regresso! E no fim notava-se que também eles estavam contentes.

Algumas fotos:

Utilização de Variáveis do Parent Package – SSIS 2008

No SQL Server Integration Services (SSIS) podem ser definidas variáveis com vários fins, como por exemplo actualizar propriedades de elementos do package ou construir interrogações SQL em tempo de execução.

A gestão das variáveis de um package é feita através do separador Variables no Business Intelligence Studio (o Visual Studio muda de nome para estas coisas..), acessivel através do menu SSIS>Variables. Uma das coisas que não percebi imediatamente foi a coluna “Scope”, porque, ao contrário do tipo da variável, não dá para alterar.

Isto acontece porque o scope da variável fica definido aquando da sua criação, conforme o elemento que está seleccionado: se seleccionarmos o fundo da área de desenho o scope é o package; se seleccionarmos uma das tarefas, o scope é essa tarefa (dá-me ideia que isto podia ter uma forma um bocado melhor de ser indicado…). As variáveis podem ser definidas no scope de containers: todas as control flow tasks são containers, assim como o próprio package (topo da hierarquia).

Independentemente do objectivo final, as variáveis acabam por ser utilizadas para passar dados entre elementos de um package. Além disso, podem também ser utilizadas para passar informação entre packages.

Vamos supor que, no cenário da figura acima, a variável vai conter a data da última execução do processo de integração. A data está armazenada em base de dados, sendo o valor da variável carregado a partir da tarefa LoadDate (Execute SQL Task). Para tal, é necessário mapear o result set da interrogação na variável. Como a variável contém apenas uma data, indicamos nas suas propriedades que o result set é uma única linha.

Depois, no separador Result Set indicamos o mapeamento. Neste caso, a coluna “data” é mapeada para a variável “Variable”. Assim, quando a tarefa for executada, a variável contém o valor da data lido da base de dados.

De seguida são eecutadas uma qualquer tarefa de Data Flow e a tarefa que invoca o ChildPackage. Vamos admitir que ambos necessitam da data da última execução para filtrar dados numa interrogação SQL. Precisamos então de passar o valor da variável ao ChildPackage, colocando-o, por exemplo, numa outra variável aí definida.

A utilização de variáveis do package “pai” pode ser feita de forma simples através da configuração do package “filho”. Para tal, acedemos ao menu SSIS>Package Configurations, activando as configurações e adicionando uma nova configuração do tipo Parent package variable.

Passando à página seguinte, podemos indicar a utilização pretendida para o valor da variável. Neste caso, estou a colocá-lo noutra variável do package filho (mostrada na figura de cima), mas podemos colocar o valor em qualquer propriedade dos elementos do package actual.

Quando o ParentPackage invoca o ChildPackage, as configurações são executadas antes das tarefas do package.